CPI vota requerimentos, anuncia investigados e ouve defensores da cloroquina nesta sexta

Um dos requerimentos propõe depoimento em reunião secreta do ex-governador do Rio Wilson Witzel, que compareceu à comissão nesta semana. Para senadores, ele pode colaborar mais.

Foto: Divulgao

A CPI da Covid deve ter uma sexta-feira (18) movimentada. Os integrantes da comissão se reúnem a partir das 9h para analisar 40 requerimentos e, também para ouvir médicos defensores do uso de cloroquina, medicamento comprovadamente ineficaz contra a doença.

Além disso, o relator Renan Calheiros (MDB-AL) — vídeo abaixo — convocou uma coletiva de imprensa para anunciar os nomes de testemunhas que passarão à condição de investigadas pela CPI. A lista deve ter 12 nomes.

Entre os pedidos que poderão ser votados nesta sexta-feira, estão os de convocações do governador Claudio Castro (PL), do Rio de Janeiro, e de Alexandre Chieppe, secretário estadual de Saúde do Rio.

Também está na pauta de votações da CPI a proposta de realização de uma "diligência" para ouvir, na condição de testemunha e em sessão secreta, o ex-governador do Rio Wilson Witzel.

Witzel compareceu à CPI na última quarta-feira (16) — vídeo abaixo — protegido por um habeas corpus concedido pelo ministro Nunes Marques, do STF. Ele foi atacado e bateu boca com o senador Flavio Bolsonaro (Patriota-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro, e pediu para encerrar a participação mais cedo.

O ex-governador declarou, contudo, que tem informações "graves" a revelar e se comprometeu a voltar à CPI em uma reunião secreta, a portas fechadas.

A CPI também pode votar quebras de sigilo de organizações sociais que atuam na área da saúde do Rio de Janeiro e também pedido de informações de hospitais federais do estado, além de pedidos de informação de vários órgãos do Executivo federal.

Para o vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), a participação de Witzel abriu um novo caminho de investigação, para apurar possível atuação de organizações criminosas em hospitais federais do Rio de Janeiro.

Na segunda parte da reunião da CPI, será realizada uma audiência pública com os médicos Ricardo Ariel Zimerman e Francisco Cardoso Alves.

Os dois assinaram relatório que embasou uma nota técnica do Ministério Público Federal de Goiás com recomendações de uso de cloroquina em pacientes, mesmo após a divulgação de estudos científicos apontarem ineficácia da droga contra a Covid-19.
A presença deles na comissão foi defendida por parlamentares governistas.

"Francisco Eduardo Cardoso Alves, além da qualificação acadêmica citada anteriormente, possui ampla experiência na área clínica em doenças infectocontagiosas, parasitárias e tropicais (consultório, ambulatório, enfermaria, emergência e terapia intensiva), e como médico intensivista plantonista em hospitais de doenças infecciosas, tanto da rede pública quanto privada", diz Ciro Nogueira (PP-PI) em um requerimento apresentado à CPI.

Pela manhã, a cúpula da CPI concederá uma entrevista a jornalistas. Renan Calheiros anunciará uma lista com 12 nomes que passarão a ser investigados pela CPI. O blog do jornalista Valdo Cruz no G1 antecipou a lista.

Para Renan Calheiros, a condição de investigado na CPI permite aprofundar a apuração, na medida em que facilita, por exemplo, a requisição de documentos e a realização de buscas e apreensões.

Devem estar na lista:

Marcelo Queiroga (ministro da Saúde)
Eduardo Pazuello (ex-ministro da Saúde)
Ernesto Araújo (ex-ministro de Relações Exteriores)
Fábio Wajngarten (ex-secretário de Comunicação Social)
Mayra Pinheiro (secretária de Gestão do Trabalho do Ministério da Saúde)
Nise Yamaguchi (médica defensora da cloroquina)
Paolo Zanotto (médico defensor da cloroquina)
Carlos Wizard (empresário que aconselhou Pazuello)
Arthur Weintraub (ex-assessor especial da Presidência da República)
Francieli Fantinato (coordenadora do Programa Nacional de Imunização)
Marcellus Campêlo (ex-secretário de Saúde do Amazonas)
Elcio Franco (ex-secretário-executivo do Ministério da Saúde)


Informações G1

Compartilhe

Deixe seu comentário