'Se continuar essa situação grave, tomaremos medidas restritivas mais fortes', alerta Colbert

Em função do aumento dos números, o toque de recolher terá horário ampliado e a restrição passa a ser das 20h às 5h, a partir desta segunda. Anteriormente, o horário era das 22h às 5h.

Foto: Jorge Magalhães

As UTIs Covid em Feira de Santana atingiram a lotação máxima neste domingo (21). Há uma semana, autoridades estavam alertando para a alta nas taxas de Covid-19 em todo o estado.

De acordo com o prefeito Colbert Martins Filho, nesta segunda-feira (22), o cenário continua grave na cidade.

'No momento temos 16 pessoas internadas no Hospital de Campanha, são 18 leitos e essa diferença de duas vagas, infelizmente, são de dois pacientes que faleceram. Já nos leitos clínicos, dos 35 leitos, 21 estão ocupados, alguns casos graves', destacou em entrevista ao Bom Dia Feira na manhã de hoje.

Em função do aumento dos números, o toque de recolher terá horário ampliado e a restrição passa a ser das 20h às 5h, a partir desta segunda. Anteriormente, o horário era das 22h às 5h. A medida atinge mais de 343 cidades baianas, incluindo Feira, desde a última sexta-feira (19).

'Ontem, a comemoração do coronavírus se estendeu pelos bares da cidade. Temos um nível de descumprimento muito elevado e esse tipo de comportamento só vamos sentir em 15 dias, o aumento vai acontecer no número de casos, nós estamos fiscalizamos, teremos a ampliação do horário a partir de hoje e se essas coisas continuarem acontecendo, daqui a pouco vem para as 18h, mas isso só vai acontecer se não houver colaboração de todos', afirma o prefeito.

Com o toque de recolher, o funcionamento do delivery de alimentos segue até 23h, e em bares e restaurantes o atendimento presencial encerrará às 18h. O transporte público urbano circula até 20h30, e aos domingos e feriados com último balão às 20h.

Colbert destaca ainda que, caso a situação siga se agravando, medidas restritivas mais fortes serão tomadas.

'Eu não quero fazer uma antecipação das tendências porque nós vamos fazer um levantamento dos leitos que teremos que expandir, mas a continuar essa situação grave, teremos que tomar essas medidas mais fortes', diz.

Para atender os novos pacientes infectados, medidas de emergências já estão sendo tomadas.

'Queremos ter a perspectiva de, em qualquer circunstância, ter leitos disponíveis. Todas as nossas sete policlínicas têm respiradores, inclusive na zona rural, caso seja necessário a intubação precoce e estamos trabalhando muito na ampliação de leitos nas policlínicas e Upas', relata o prefeito.

Assista a entrevista na íntegra:

 

Compartilhe

Deixe seu comentário