Com plano de demissão voluntária, Banco do Brasil fecha agências e funcionários temem impactos

Ao Bom Dia Feira, o diretor de comunicação do Sindicato dos Bancários de Feira de Santana Edmilson Cerqueira ressaltou que cerca de 30 mil pessoas dependem direta ou indiretamente dos empregos.

Foto: Divulgação

Um plano de demissão voluntária foi lançado em um comunicado do Banco do Brasil que visa corte de gastos. Com isso, 112 agências do banco devem ser fechadas.

Ao Bom Dia Feira, o diretor de comunicação do Sindicato dos Bancários de Feira de Santana Edmilson Cerqueira ressaltou que as demissões impactam negativamente na economia do país.

‘O atendimento ao público já é um caos sem redução de funcionários, imagine reduzindo 5 mil funcionários, são quase 30 mil pessoas que dependem direta ou indiretamente desses empregos. Os bancos públicos estão sofrendo ataques desse governo que ao contrário de outros países, os governantes mantem os bancos estatais para balizar os juros’, afirma.

De acordo com Edmilson, os brasileiros possuem uma cultura de serem atendidos, o que será destruído com a medida do BB.

‘A gente tinha sala com dez pessoas e agora tem duas fazendo o trabalho que dez faziam. Querem a política de fechar o caixa, fechar o atendimento presencial. Para mim, isso que é geração de emprego, quanto mais a gente dá condição das pessoas terem uma renda, ninguém fecha os estabelecimentos porque as pessoas geram a economia’, conta.

Em relação ao fato, o diretor destaca ainda que as centrais sindicais estão reunidas para promover uma reação dos trabalhadores.

‘Precisamos defender o patrimônio público, a central dos trabalhadores, o comando nacional dos bancários estamos reunidos para convocar o pessoal, vamos precisar botar máscara e ir pra rua, lutar e dizer não a tudo que está acontecendo. Já estamos prevendo que teremos um problema gravíssimo com a falta de emprego e investimento que está acontecendo no Brasil’, diz.


Com informações do repórter Joaquim Neto 

Compartilhe

Deixe seu comentário