Boca de urna e sujeira em colégios podem gerar prisão e multa de até 15 mil

Essas situações, apesar de menos frequentes no segundo turno das eleições, são crimes eleitorais, segundo a advogada Lílian Reis.

Foto: Divulgação

A prática conhecida como boca de urna e o derramamento de santinhos em locais de votação, fato muito registrado no primeiro turno das eleições que aconteceu no último dia 15 de novembro, podem resultar em prisão e em multas de até R$ 15 mil reais. 

Essas situações, apesar de menos frequentes no segundo turno das eleições, são crimes eleitorais, segundo a advogada Lílian Reis.

'A boca de urna é crime sujeito a prisão e a penas alternativas. Quem for preso praticando esse crime pode ser submetido a um processo ou a uma multa de R$ 5 a R$ 15 mil. As penalidades são as mesmas para o candidato beneficiado', alerta a advogada, em entrevista ao repórter Kleiton Costa. 

Especialista em Direito Eleitoral, Lílian salienta que o cidadão comum pode denunciar os crimes eleitorais. 

'O ideal seria chamar a polícia ou algum fiscal de partido. Mas é preciso cuidado, já que há também o celular para registrar isso, o que pode evitar ir diretamente para o enfrentamento com outras pessoas', diz. 


Com informações do repórter Kleiton Costa

Compartilhe

Deixe seu comentário