Carlos Geilson anuncia apoio a Colbert Martins no 2º turno; vice segue caminho oposto

De acordo com o ex-deputado, durante a campanha, tentou conversar com o governador da Bahia Rui Costa (PT), grupo do qual fez parte recentemente, mas o contato não foi efetivado.

Foto: Joaquim Neto/ Bom Dia Feira

O ex-deputado estadual e candidato a prefeito de Feira de Santana no primeiro turno das eleições municipais Carlos Geilson (Podemos) anunciou, no final da tarde desta quinta-feira (19), apoio ao atual prefeito e candidato à reeleição em Feira no segundo turno Colbert Martins Filho (MDB).

'Esse apoio foi definido ontem à tarde em uma reunião com o prefeito de Salvador ACM Neto, o Bruno Reis e o próprio José Ronaldo de Carvalho, não havia nenhum compromisso firmado, digo isso com a mais absoluta tranquilidade. Não foi uma decisão difícil, difícil foram os amigos e companheiros cada um puxando pro seu lado, por isso na segunda-feira eu fiz meu retiro espiritual, me isolei, buscando chegar a um denominador comum que chegasse mais perto das minhas ideias políticas', disse à nossa reportagem.

De acordo com o ex-deputado, durante a campanha, tentou conversar com o governador da Bahia Rui Costa (PT), grupo do qual fez parte recentemente, mas o contato não foi efetivado.

'Quando o governador fez a opção de ter em Feira de Santana um candidato único, ele abriu mão de outros possíveis apoios, então eu me senti a vontade de tomar a minha decisão. Vocês viram que o governador esteve na cidade, fez questão de pontuar quem era o candidato dele, nos deixando de lado, eu entendo as razões, ele resolveu optar pelo candidato do seu partido, só acho que deveria ter sido mais plural, em uma eleição como essa que não se faz só no primeiro turno, mas vida que segue, não tenho nada a reclamar. As disputas vão passar, mas o que importa é a boa convivência', ressaltou.

Geilson obteve 4,40% dos votos no primeiro turno. Ao lado dele, o vice na chapa foi Deibson Cavalcanti, que segue um caminho oposto ao escolhido pelo candidato no segundo turno.

'O nosso posicionamento se deu em função de buscar mudança na gestão política de Feira de Santana, nós entramos nessa disputa eleitoral prezando projetos voltados para as pessoas, nos posicionando pela mudança e renovação. Eu poderia me abster, mas acho que político tem que ter lado e prefiro o lado da coerência', diz.

Com informações do repórter Joaquim Neto 

Compartilhe

Deixe seu comentário