PIX faz estreia restrita no dia 3, com horários reduzidos

Sistema passará por testes com 1% a 5% da base de inscritos, segundo o BC, para que se façam ajustes antes da liberação para público geral no dia 16.

Foto: Divulgação

O PIX, novo sistema de pagamentos instantâneos brasileiro, entra em operação no próximo dia 3 para uma base restrita de clientes e em horários reduzidos. Segundo o Banco Central, o serviço estará disponível para que um grupo de usuários faça testes e os desenvolvedores detectem possíveis ajustes.

Entre 3 e 8 de novembro, um grupo de 1% a 5% da base de clientes cadastrada no PIX poderá fazer as primeiras operações entre 9h e 22h. Do dia 9 até o 15, o BC avaliará a ampliação do número de clientes se os resultados forem bons. Nas duas quintas e sextas-feiras desse período, as operações com o PIX funcionaram sem limitação de horário.

"Se definiu uma janela diária de forma a termos espaço durante esses dias em que o PIX não estará efetivamente funcionando para conectar, fazer ajustes necessários", diz Carlos Eduardo Brandt, chefe-adjunto do Departamento de Competição e de Estrutura do Mercado Financeiro do BC.

Ao longo das semanas de teste, todos os cadastrados poderão receber dinheiro pelo PIX, mas não transferir. Apenas os selecionados terão todas as funcionalidades em mãos. No dia 16, às 9h, as operações serão liberadas a todos, prevê o BC.

"Nesse processo pode haver alguma intercorrência, tudo vai ser tratado, gerenciado pelas equipes envolvidas do BC e das instituições financeiras. Os sistemas estão exaustivamente testados, a gente está falando aqui só desse processo de passagem específico para o ambiente real", afirma Brandt.

Quem for selecionado para o grupo de testes do PIX deve ser avisado pelo banco ou instituição financeira em que foi cadastrada a chave. Segundo o BC, o aviso deve ser feito até o dia 3, quando o sistema entra em operação restrita.



iInformações G1

Compartilhe

Deixe seu comentário