Bahia bate recorde na produção de ovos durante segundo trimestre do ano, aponta IBGE

Outros setores registraram quedas. Mesmo com bom desempenho, estado ainda representa apenas 1,4% da produção nacional.

Foto: Reprodução

A pandemia da Covid-19 continua limitando algumas atividades, mas outras estão a todo vapor. No segundo trimestre deste ano, entre abril de junho, a Bahia bateu recorde de produção de ovos, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Este foi o melhor resultado desde 1987.

Os dados revelam que, nesses três meses, o estado produziu 14,1 milhões de dúzias de ovos, quebrando um outro recorde já alcançado no primeiro trimestre. As galinhas poedeiras das granjas baianas produziram 34,2% a mais em relação ao período anterior.

Em uma granja entre Cruz das Almas e Sapeaçu, no recôncavo baiano, o crescimento foi maior do que a média geral. A produção subiu quase 40% no primeiro semestre.

"Já era esperado por todos nós em virtude da implantação de novos projetos. O setor agrícola vem crescendo bastante, é importante ressaltar a adoção de práticas de alta tecnologia na produção. Esse aumento na produção representa um importante passo na nossa autossuficiência, gerando emprego para muitas famílias", contou o produtor rural Jackson Rodrigues.

Mesmo com um bom desempenho, o estado ainda representa apenas 1,4% da produção nacional, que é liderada por Espírito Santo, São Paulo e Minas Gerais.

Enquanto a produção de ovos bateu recorde, outro setores da pecuária registraram queda. A produção de leite caiu (-2,5%) entre abril de junho, em relação ao primeiro trimestre do ano. A Bahia responde por 2,3% do leite produzido no país, ou seja, a maior parte do alimento consumida no estado, vem de fora.

No mesmo período analisado, o abate de frango também teve queda (-3,8%). Já o abate de bovinos registrou queda (-2,7%), com o menor resultado desde 2006.



Informações G1

Compartilhe

Deixe seu comentário