Bahia tem 2.191 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas

Dos 294.210 casos confirmados desde o início da pandemia, 280.351 já são considerados curados e 7.638 encontram-se ativos.

Foto: Divulgação

A Bahia registrou 2.191 novos casos de Covid-19 e 40 mortes em decorrência da doença, nas últimas 24 horas, segundo boletim divulgado pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), divulgado na tarde deste sábado (19).

A taxa de crescimento no número de casos, nas últimas 24 horas, foi de 0,8%. No período, também houve o registro de mais 1.861 pessoas recuperadas da doença no estado ( 0,7%). Dos 294.210 casos confirmados desde o início da pandemia, 280.351 já são considerados curados e 7.638 encontram-se ativos. 

Para fins estatísticos, a vigilância epidemiológica estadual considera um paciente recuperado após 14 dias do início dos sintomas da Covid-19. Já os casos ativos são resultado do seguinte cálculo: número de casos totais, menos os óbitos, menos os recuperados. Os cálculos são realizados de modo automático.

O boletim epidemiológico contabiliza ainda 578.932 casos descartados e 71.498 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas deste sábado (19).

O boletim epidemiológico de hoje contabiliza 40 óbitos que ocorreram em diversas datas, conforme tabela abaixo. A existência de registros tardios e/ou acúmulo de casos deve-se a sobrecarga das equipes de investigação, pois há doenças de notificação compulsória para além da Covid-19. Outro motivo é o aprofundamento das investigações epidemiológicas por parte das vigilâncias.

O número total de óbitos por Covid-19 na Bahia desde o início da pandemia é de 6.221, representando uma letalidade de 2,11%. Dentre os óbitos, 55,89% ocorreram no sexo masculino e 44,11% no sexo feminino. Em relação ao quesito raça e cor, 53,13% corresponderam a parda, seguidos por branca com 16,78%, preta com 15,37%, amarela com 0,85%, indígena com 0,10% e não há informação em 13,78% dos óbitos. O percentual de casos com comorbidade foi de 74,31%, com maior percentual de doenças cardíacas e crônicas (76,01%).



Informações G1

Compartilhe

Deixe seu comentário