ARTIGO: Cuidado feirense, a vacina vem aí...

Foto: Divulgação

​Recentemente em coluna de um blog local, ao comentar a chegada em breve da vacina contra o COVID e a fala do Presidente de que “ninguém poderia obrigar ninguém a tomá-la”, habituado a comentários precipitados e ofensivos contra autoridades, o articulista apontou a medida que entendeu dever ser adotada. 

​Disse ele “... Havendo uma vacina que CUMPRA os rigores da ciência, nesse caso, o governo deveria decretá-la compulsória.”

Lembrei-me de certo líder europeu dos anos 30... 

​O decreto sugerido além de ser duplamente inconstitucional seria uma ignomínia ao mundo civilizado. Como se sabe, desde a constitucionalização do direito à liberdade, no século XVIII, os governos não podem obrigar alguém a fazer o que não quiser, embora se possa contrapor à recusa uma prestação alternativa (que, no caso, não atenderia ao desejo do destemido escriba...).

​O colunista deve ter se inspirado em seu colega Oswaldo Cruz que, em 1904, na presidência de Rodrigues Alves, quis livrar o Rio da malária; mas a obrigatoriedade da vacinação gerou grande revolta popular e resultou em dezenas de mortos, centenas de feridos e milhares de detidos e deportados...

​A proposta do autor nos faz lembrar os rigores dos que foram submetidos às galés, os que eram amarrados e castrados para cuidarem dos haréns, os escravos agrilhoados e marcados com ferro em brasa, os que não rezavam por determinada cartilha ariana, etc...

​Só nos resta repetir como os exorcistas, vade retro Satana...


Por: César Oliveira - Advogado 

advcesaroliveira@gmail.com

Compartilhe

Deixe seu comentário