GUERRA MAIS OU MENOS SANTA

Foto: Divulgação

O presidente Bolsonaro, ao vetar artigo de lei da anistia de dívidas da CSLL dos templos religiosos e mantendo anistia sobre dívidas previdenciárias (INSS), disse que vetava o artigo das dívidas de CSLL (contribuição social sobre lucro líquido) porque temia impeachment, desde quando cometeria ilegalidade, mas exortou aos parlamentares para derrubarem o veto, ou seja, manterem a anistia das respectivas dívidas. Com isso 'levantou a bola' para a bancada evangélica, porque as igrejas desta religião são as maiores devedoras de CSLL e INSS. Possivelmente comece agora uma 'guerra mais ou menos santa' no congresso nacional porque os parlamentares provavelmente não vão carregar a pecha de inimigos das igrejas e quem sabe até serem chamados de adoradores de satanás por líderes religiosos radicais.

Compartilhe

Deixe seu comentário