A vida perdeu mesmo o valor

Foto: Renato Barbosa/WhatsApp

Um fato que aconteceu ontem e que foi noticiado na grande mídia, me chamou muita atenção e me chocou muito. Um representante comercial que estava trabalhando em um supermercado da rede Carrefour, em Recife, teve um mal súbito e morreu no local. Só esse acontecimento já é algo para se lamentar profundamente. Um homem de 53 anos, enquanto garantia o sustento da família, teve um infarto fulminante e não resistiu. Mas o que causa ainda mais espanto são a atitude e o tratamento dado ao fato pela direção do supermercado. O corpo foi coberto por dois guarda-sóis, o Instituto Médico Legal foi acionado, e a vida seguiu imediatamente no supermercado. O estabelecimento continuou com o seu funcionamento normalmente, com as pessoas fazendo suas compras, como se nada tivesse acontecido. A única 'alteração' no funcionamento foi um pequeno isolamento no local onde o corpo estava estendido, que sequer impedia as pessoas que passavam por perto (bem perto mesmo, já que pelas fotos, o isolamento foi logo ao lado do corpo) de ver ali o corpo do trabalhador.

Atitudes como essa, diante da morte de uma pessoa, nos leva a concluir que, para a maioria das pessoas, a vida do outro perdeu mesmo o valor. Sabemos que o funcionamento do mercado não colocaria em risco a saúde dos clientes e funcionários que ali estavam, mas uma interrupção das atividades até que, pelo menos o corpo fosse removido, seria o mínimo que se poderia fazer. Seria uma atitude humana respeitosa com a família que acaba de perder um membro. Imagine se algum familiar chega ao local (não temos a informação se isso chegou a acontecer) e encontra uma situação como essa? O corpo do seu pai, irmão ou filho ali, e as pessoas fingindo que nada aconteceu? Não dá pra admitir, e assusta o fato de um supermercado e seus clientes encararem a morte de uma pessoa dentro do estabelecimento como uma coisa normal e sem importância.

Em nota, o supermercado Carrefour informou à imprensa que lamenta o ocorrido, e que ‘diante da situação, revisitou seus protocolos, implementando o fechamento das lojas para fatalidades como essa’. Entendemos que o reconhecimento do erro é importante e que o compromisso de evitar que isso volta a ocorrer, também, mas ficou muito feio para o supermercado tal atitude desrespeitosa.

Compartilhe

Deixe seu comentário