MEC vai criar 'Enem seriado' com reformulação das avaliações da educação básica

De acordo com o Inep, Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) vai ser reformulado para trazer mais agilidade nas informações sobre o ensino no país.

Foto: Divulgação

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou nesta quarta-feira (6), que o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) terá uma prova anual aplicada para todas as séries a partir do 2º ano do ensino fundamental.

"A ideia é trazer resultados com mais agilidade, informações mais precisas e por escola, para conseguir realizar intervenções pedagógicas com tempo mais curto. E com mais uma possibilidade de acesso ao ensino superior: o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) seriado" - diz a nota do Inep.

Atualmente, a prova é aplicada para os estudantes em 4 diferentes fases de ensino: para os das 2º, 5º e 9º anos do ensino fundamental e os da 3ª série do ensino médio.

Segundo o Inep, as provas serão em papel até o 4º ano do ensino fundamental e eletrônicas do 5º em diante. "O exame realizado pelo computador permitirá ter estimativas mais precisas da proficiência dos alunos, assim como redução no tempo da coleta de dados e da divulgação dos resultados".

O Inep afirma que o novo Saeb vai trazer a possibilidade do Enem seriado, ou seja, as notas dos exames feitos para esta avaliação vão poder ser usados para acesso ao ensino superior.

"O novo Saeb traz o chamado Enem seriado. Nele, as provas dos alunos do ensino médio formarão uma nota a partir da pontuação adquirida em cada uma das três séries, que poderá ser utilizada para acesso ao ensino superior. Os estudantes que fizerem a prova da 1ª série em 2021 já estarão concorrendo a vagas nas universidades para quando concluírem o ensino médio, em 2023"- diz a nota.

Segundo o instituto, o Enem tradicional não vai deixar de existir. "O Enem seriado é apenas mais uma porta de entrada ao ensino superior. O Enem tradicional continuará a ser aplicado normalmente, nas versões impressa e digital".



Informações G1

Compartilhe

Deixe seu comentário