Rui rebate Bolsonaro sobre morte de Nóbrega: ‘Bahia não mantém amizade com bandidos’

O presidente acusou a ‘polícia baiana do PT’ de assassinar o capitão, em ato de ‘queima de arquivo’

Foto: Divulgação

O governador Rui Costa (PT) disse, na noite de ontem (15), após acusações do presidente Jair Bolsonaro, que a gestão estadual da Bahia “não mantém laços de amizade, nem presta homenagens a bandidos ou procurados pela Justiça”. 

Bolsonaro havia acusado o que ele chamou de “polícia baiana do PT” de ter assassinado o capitão Adriano da Nóbrega, que era procurado sob acusação de chefiar no Rio a milícia Escritório do Crime, por motivos de “queima de arquivo”.

No Twitter, Rui disse ainda que a governo baiano “não vai tolerar nunca milícias, nem bandidagem” e que no estado “a determinação é cumprir ordem judicial e prender criminosos com vida”. “Mas se estes atiram contra pais e mães de família que representam a sociedade, os mesmo têm o direito de salvar suas próprias vidas, mesmo que os marginais mantenham laços de amizade com a Presidência”, publicou ele.



Informações Metro1 

Compartilhe

Deixe seu comentário