SP monitora mais um caso suspeito de coronavírus; dois são investigados no estado

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, adulto com histórico de viagem à China foi registrado neste sábado (15). Outro caso é de Campinas, que havia sido registrado nesta sexta (14).

Foto: Fábio Tito/G1

A Secretaria Estadual de Saúde informou na tarde deste sábado (15) que monitora mais um caso suspeito de coronavírus é monitorado no estado. Ao todo, dois pacientes são investigados.

Segundo a pasta, um adulto com histórico de viagem à China foi registrado neste sábado (15). O outro caso é de Campinas, que havia sido registrado nesta sexta-feira (14). Ainda de acordo com a secretaria, o estado contabiliza 20 casos descartados.

Os dois casos considerados suspeitos estão em isolamento domiciliar, e seus familiares estão orientados com relação às medidas necessárias para se prevenirem, como uso de máscaras, higienização das mãos e não compartilhamento de objetos de uso pessoal, bem como sobre os cuidados requeridos para os pacientes, que incluem hidratação e a permanência em casa, sem circulação por outros locais e evitando contato com familiares e amigos, por exemplo.

O novo coronavírus foi denominado oficialmente nesta semana pela Organização Mundial da Saúde como COVID-19, sigla em inglês para “coronavirus disease 2019" (doença por coronavírus 2019)

Até o momento, não há caso confirmado de COVID-19 nem em São Paulo nem no Brasil.

Em São Paulo, a investigação dos casos é realizada pelas secretarias municipais de saúde, com apoio técnico do estado. As amostras biológicas dos pacientes são colhidas pelo hospital onde foram atendidos os pacientes e enviadas para análise no Instituto Adolfo Lutz, na capital paulista.

Os exames são feitos a partir da coleta de materiais respiratórios (aspiração de vias aéreas ou coleta de secreções da boca e nariz), que é realizado pelo hospital que atendeu o caso suspeito e encaminhado ao laboratório de saúde pública na capital.

Os dados oficiais estão sendo registrados pelos municípios em um sistema de notificação do Ministério da Saúde.

As autoridades sanitárias de São Paulo orientam que os pacientes com os sintomas da doença procurem o serviço de saúde mais próximo, caso apresentem febre, dificuldade para respirar, tosse ou coriza, associados a aspectos epidemiológicos como histórico de viagem em área com circulação do vírus ou contato próximo a algum caso suspeito ou confirmado laboratorialmente para coronavírus.

Para acompanhar esses casos suspeitos, o governo de São Paulo anunciou a criação de um centro de operações de emergência, que funcionará 24 horas por dia, controlando os registros do coronavírus em todo o estado.

O plano de ação, lançado em parceria com a Prefeitura de São Paulo, integrará profissionais de todos os municípios e inclui a compra de equipamentos de proteção para funcionários de saúde.

De acordo com o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), a capital paulista terá um profissional em cada equipamento de saúde do município destacado para identificar possíveis pacientes com a doença.

No início de fevereiro, os profissionais de saúde começaram a receber treinamento presencial sobre fluxo de notificação e atendimento específicos em casos suspeitos de coronavírus.

A ação conjunta do governo e da prefeitura também inclui um site, onde é possível encontrar orientações para relatar casos suspeitos, entender as explicações sobre o vírus e suas formas de transmissão.

O site também publica a atualização diária da circulação do coronavírus no estado de São Paulo, além de comunicar as ações estaduais focadas na prevenção, assistência e diagnóstico.


Informações G1

Compartilhe

Deixe seu comentário