MP designa promotor para acompanhar inquérito de PM que agrediu jovem em Salvador

Caso aconteceu durante abordagem no bairro de Paripe, em Salvador. Na quarta-feira (5), vítima fez exame de corpo de delito no Instituo Médico Legal (IML).

Foto: Reprodução/Redes Sociais

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) designou um promotor de Justiça para acompanhar o Inquérito Policial Militar (IPM) e as demais providências necessárias no caso do adolescente que foi agredido por um policial militar durante abordagem no bairro de Paripe, no subúrbio ferroviário de Salvador. A ação aconteceu no último domingo (2) e foi filmada por moradores.

De acordo com o MP, o órgão tomou conhecimento do caso através das redes sociais e pela imprensa. Em seguida, entrou em contato com o comando da Polícia Militar para obter informações sobre os envolvidos no vídeo e sobre as medidas adotadas para punição do policial.

Segundo informações do Ministério Público, o Inquérito Policial Militar foi instaurado na quarta-feira (5) e é acompanhado pelo promotor de Justiça Maurício Cerqueira.

Também na quarta, a testemunha que flagrou em vídeo a agressão de um policial militar contra o adolescente, revelou que tem medo de represálias e que, após o caso, ele não retornou mais ao bairro.

O Coletivo de Entidades Negras pediu proteção para ele e segue atuando no caso. O coordenador do projeto, Yuri Silva, contou que a PM se comprometeu a realizar ações de conscientização com as tropas.

Ainda na quarta-feira, o comandante da PM realizou um encontro com a vítima e a mãe dela. Na ocasião, Anselmo Brandão pediu desculpas pelas agressões. Ele informou que as imagens mostram que o policial cometeu um ato infracional.

Pela tarde, o adolescente fez exame de corpo de delito no Instituo Médico Legal (IML).

Nas filmagens, além das agressões, também é possível ouvir o policial chamar o jovem de "viado" e fazer insultos racistas ao se referir ao cabelo dele.

"Você para mim é ladrão, você é vagabundo. Olha essa desgraça desse cabelo aqui. Tire aí vá, essa desgraça desse cabelo aqui. Você é o quê? Você é trabalhador, viado? É?", grita o militar, enquanto puxa um boné que a vítima usava. O mesmo policial chega a dar murros na costela do rapaz, além de um tapa no rosto e um chute na barriga.

Depois de agredir o jovem, o policial entrou na viatura e deixou o local. Toda a ação foi filmada de dentro do portão de uma casa. Além da vítima agredida, é possível ver que outros dois jovens passaram pela abordagem policial.

Em publicação feita no perfil oficial no Twitter, na manhã de terça-feira (4), o governador Rui Costa comentou o caso. "Como governador do Estado da Bahia não admito comportamento de violência policial como o ocorrido no vídeo que circula nas redes sociais. É inaceitável, inadmissível e não reflete o comportamento e os ideais da instituição", disse.

O governador afirmou ainda que acompanha a apuração do caso desde a divulgação feita pela imprensa. "Determinei apuração rigorosa e imediata da Corregedoria da Polícia Militar com as devidas punições legais aos responsáveis e divulgação para a sociedade das medidas adotadas. Para que esses casos isolados não possam continuar comprometendo a imagem da instituição", escreveu na rede social.


Informações G1



Compartilhe

Deixe seu comentário