Inter vence o Grêmio nos pênaltis e conquista a Copinha pela quinta vez

Depois de empate por 1 a 1 no tempo normal, Colorado ganha disputa por 3 a 1 nas penalidades

Foto: Marcos Ribolli

O Internacional é o grande campeão da 51ª edição da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Após empate por 1 a 1 com o rival Grêmio na manhã deste sábado, no Pacaembu, na capital paulista, o Colorado venceu o Tricolor por 3 a 1 na disputa por pênaltis e conquistou a Copinha pela quinta vez em sua história, tornando-se, ao lado do Fluminense, o segundo time com mais conquistas – o Corinthians, com dez, ainda é o maior campeão.


Na primeira etapa, as duas equipes não conseguiram criar grandes chances. Com boas atuações dos meias Diego Rosa, do Grêmio, e Cesinha, do Inter, boa parte da partida foi travada no meio-campo, mas na hora da finalização os atacantes pecaram e as defesas foram bem para impedir arremates. Na única chance mais clara, Fabrício aproveitou vacilo da defesa, invadiu a área, mas bateu por cima do gol.

A etapa final ganhou momentos dignos de uma decisão. Aos sete minutos, o Grêmio abriu o placar com gol contra de Tiago Barbosa, do Inter. Na comemoração, Alison Calegari, que já tinha cartão amarelo, subiu no alambrado para vibrar com a torcida, levou o segundo e foi expulso. A reação do Colorado foi rápida. Matheus Monteiro avançou pela esquerda e cruzou para Guilherme Pato empatar. Depois disso, virou jogão. O Inter acertou a trave com Praxedes, Elias parou no goleiro Emerson após grande jogada. Os dois times tiveram chances para conquistar o título do tempo normal, mas o empate prevaleceu, e a decisão foi para os pênaltis.

O Inter venceu a disputa por 3 a 1. Pelo lado do Colorado, Matheus Monteiro errou, e os gols foram marcados por Cesinha, Tiago Barbosa e Carlos Eduardo. No Tricolor, três erros (Vitor Prado, Wesley Moreira e Gabriel Gonçalves). Gazão fez o gol.

Depois do gol do Grêmio no começo do segundo tempo, Alison Calegari foi expulso por levar o segundo amarelo depois de subir no alambrado para comemorar. O comentarista Casagrande criticou a decisão do árbitro, principalmente por se tratar de uma final de torneio de garotos, mas o ex-árbitro Paulo Cesar de Oliveira explicou:

“Apesar de ser uma decisão que pode parecer antipática, a decisão do árbitro é correta. Não tem meio termo na regra, ela é clara nesse sentido. O jogador não pode subir no alambrado”.

Segundo maior campeão da Copinha, empatado com o Fluminense e atrás do Corinthians, que tem 10 taças, o Colorado conquistou o torneio nos seguintes anos: 1974, 1978, 1980, 1998 e 2020.


Informações G1

Compartilhe

Deixe seu comentário