China suspende viagens turísticas para o exterior

Medida deve valer a partir de segunda-feira (27) e impede apenas os deslocamentos organizados por agências de viagens.

Foto: Kin Cheung/AP

A China vai suspender todas as viagens turísticas que partem do país para tentar conter o surto de coronavírus. O presidente chinês disse neste sábado (25) que o vírus está se espalhando de maneira acelerada e que o país enfrenta uma "situação grave".

"Dada a grave situação de uma epidemia que se acelera, é necessário fortalecer a liderança centralizada e unificada do Comitê Central do Partido", disse em coletiva de imprensa Xi Jinping. Segundo o balanço mais recente, foram registrados ao menos 1.372 casos de infecção e 41 mortes por complicações da doença no país.

As restrições de excursões para o exterior passam a valer a partir de segunda-feira (27). De acordo com a Associação de Turismo da China, as viagens domésticas já estavam sob restrição desde sexta-feira (24). Uma empresa chinesa de transporte por aplicativos informou que, a partir de domingo (26), as corridas intermunicipais, partindo ou chegando de Pequim, também serão restringidas.

A região mais afetada tem, desde sexta, restrições de circulação que afetam cerca de 40 milhões de pessoas. As restrições incluem fechamento de estações de trens, rodoviárias, transportes urbanos e de circulação de carros por algumas estradas. As autoridades ainda não informaram quando essas medidas serão retiradas.

Até o momento, além da China, que tem o maior número de confirmações da doença, dez países em quatro continentes já identificaram e isolaram pacientes com coronavírus.

A China está em uma corrida científica e estrutural para conter o avanço de novos casos de coronavírus. Além de desenvolver pesquisas para identificar detalhes da cepa do vírus e de impor restrições de circulação e fechamento de pontos turísticos, o país está construindo dois hospitais para tratar exclusivamente dos infectados.

Os empreendimentos seguem o modelo de Pequim para tratamento de doenças respiratórias agudas, conhecidas como SARS. O primeiro hospital terá 1 mil leitos, uma área de 25 mil m² e deverá ser inaugurado em 3 de fevereiro. O segundo, anunciado neste sábado, deve ter 1,3 mil leitos e será entregue em 15 dias.


Informações G1

Compartilhe

Deixe seu comentário