Chega a 14 o número de mortos pela chuva em MG; 2,5 mil pessoas estão desalojados

Ainda de acordo com a Defesa Civil, há sete feridos e 911 desabrigados.

Foto: Globocop

A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de Minas Gerais informou, neste sábado (25), que 14 pessoas morreram em decorrência das chuvas que atingem o estado nos últimos dias.A informação foi dada à TV Globo pelo coronel Rodrigo Rodrigues.

Ainda de acordo com a Defesa Civil, há sete feridos, 2.590 desalojados e 911 desabrigados.

O comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Edgar Estevo, afirmou que houve mortes em Belo Horizonte, Ibirité e Betim. Ele não detalhou, entretanto, o número de mortes por cidade. Ainda de acordo com o coronel, os óbitos ocorreram em deslizamentos de terra e soterramentos.

No total de 3.375 pessoas foram atingidas diretamente pela chuva. Trinta e seis municípios foram afetados em todas as regiões do estado, sendo a Leste e a Grande BH as mais prejudicadas.

Mais cedo, a sala de imprensa do Corpo de Bombeiros disse que duas pessoas morreram em um soterramento na Vila Bernadete, na Região do Barreiro, em Belo Horizonte. Nesta sexta-feira (24), a corporação também registrou outras três mortes por causa da chuva em Ibirité, na Região Metropolitana, onde as buscas seguem por uma mulher.

Segundo os bombeiros, nesta manhã, as buscas também continuam na Vila Bernadete. Ainda não foi divulgado o número total de desaparecidos no local. De acordo com os militares, moradores disseram que seis casas teriam desabado.

Os bombeiros também trabalham no bairro Jardim Alvorada, onde cinco pessoas são procuradas sob escombros. De acordo com o coordenador-adjunto da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, tenente-coronel Flávio Godinho, informações preliminares dão conta de que são três crianças e dois adultos.

Neste sábado, além de Belo Horizonte e Ibirité, os bombeiros também estão mobilizados em ocorrências de desabamento e soterramento em Betim.

Uma delas é na Rua Londres, no bairro Duque de Caxias. O prefeito da cidade, Vittorio Medioli, afirmou na madrugada deste sábado (25) que quatro pessoas estão soterradas.

Os bombeiros também fazem buscas na Rua Campo Formoso, no bairro Jardim Terezópolis. Ainda não há informações sobre possíveis desparecidos neste local.

Em Juatuba, na Grande BH, a prefeitura informou que decretou situação de emergência por conta das chuvas. O prefeito da cidade, Antônio Adonis Pereira (Patriotas), disse que as regiões mais afetadas foram os bairros Ponte Nova e Cidade Nova 4.

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) afirmou que Belo Horizonte teve o dia mais chuvoso da história da cidade, desde o início da medição climatológica há 110 anos. Em 24 horas, o acumulado de chuva chegou a 171,8 milímetros em Belo Horizonte.

Desde quinta-feira (23), a chuva atinge a Grande BH. Nesta sexta-feira na capital, desde a madrugada, os transtornos são inúmeros: córregos e ribeirões transbordaram, vias tiveram que ser interditadas e áreas foram atingidas por deslizamentos de terra. Durante a noite, mais uma vez houve chuva forte, trazendo novos problemas na cidade.

Na Região Metropolitana, a chuva castigou municípios como Betim, Contagem, Raposos e Ibirité.

De acordo com a Coordenadoria Municipal de Defesa Civil de Belo Horizonte, neste sábado (25), a previsão meteorológica indica que o dia será de céu encoberto com chuvas a qualquer hora do dia e o acumulado pluviométrico deve ser abaixo de 50 mm. A mínima foi de 18°C, a máxima estimada é de 23°C e a umidade relativa mínima em torno de 85% à tarde.


Informações G1

Compartilhe

Deixe seu comentário