Seis presos são recapturados após fuga em massa de presídio em Rio Branco

Ao todo, 26 presos fugiram do Complexo Penitenciário Francisco d’Oliveira Conde, na madrugada de segunda-feira (20). Um preso já tinha sido capturado ainda na segunda.

Foto: Divulgação/Iapen-AC

Seis dos 26 presos que fugiram do Complexo Penitenciário Francisco d’Oliveira Conde, em Rio Branco, na madrugada de segunda-feira (20), foram recapturados pela polícia. A informação foi confirmada pelo Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen-AC).

A primeira captura ocorreu logo após a fuga,os outros cinco foram presos entre a noite desta segunda (20) e a madrugada desta terça (21); 20 seguem foragidos.

Os detentos fugiram do pavilhão L, onde cumprem pena em regime fechado. A fuga ocorre após um fim de semana violento com sete execuções.

Conforme o Iapen, dois presos foram localizados por policiais penais na noite de segunda, por volta das 23h30, na BR-364, um foi achado em matagal próximo do presídio, no bairro Custódio Freira, na madrugada de terça (21), por volta das 3h45.

O Iapen informou que os detentos fizeram um buraco na parede da cela e, com lençóis, fizeram cordas para escapar pela muralha. Os presos são da facção criminosa denominada Bonde dos 13, aliada ao Primeiro Comando da Capital (PCC), que atua em vários estados brasileiros.

Após a fuga, a Secretaria de Segurança Pública do estado afirmou que a Polícia Rodoviária Federal do Acre e militares do 4° BIS do Exército Brasileiro reforçam as barreiras policiais nas rodovias federais na capital e do interior do Acre.

Em coletiva, o secretário de Segurança em exercício, Ricardo dos Santos, não descartou uma possível ligação entre a fuga em massa no Complexo Penitenciário Francisco d’Oliveira Conde e o caso dos 76 detentos que fugiram de um presídio no Paraguai, no domingo (19).

Medidas tomadas após a fuga foram:

O reforço das barreiras policiais na capital e municípios com o apoio da Polícia Rodoviária Federal e 4° BIS – Exército Brasileiro, nas barreiras em rodovias federais;

Acionamento da Secretaria de Estado de Segurança Pública de Rondônia e do Amazonas para implantação de barreiras e fiscalização nas áreas de fronteira e rodovias federais;

Acionamento da Polícia Federal para apoio com equipes de inteligência para avaliação das circunstâncias de fuga, bem como o apoio de fiscalizações em aeroportos;

Acionamento do Centro Integrado Regional de Inteligência para apoio quanto à produção de conhecimento sobre o ocorrido;

Determinação para realização de revistas em todos os presídios do estado, com vistas a evitar novas fugas;

Acionamento dos corregedores da Polícia Militar e Polícia Penal para instaurar apuração imediata de eventuais responsabilidades pela fuga no aspecto administrativo, visto que a Polícia Civil irá atuar no aspecto penal;

E solicitação de apoio do Ministério Público e da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) para acompanhar as ações de investigação durante as ações que vão apurar eventuais responsabilidades pela fuga dos detentos.



Informações G1

Compartilhe

Deixe seu comentário