Segundo Defesa Civil, ES tem mais de 1,6 mil pessoas fora de casa após chuva

Há registros de desabrigados e desalojados em Iconha, Alfredo Chaves, Vargem Alta, Anchieta e Rio Novo do Sul. Seis mortes já foram confirmadas.

Foto: Reprodução/TV Gazeta

A chuva que atingiu a região Sul do Espírito Santo, na última sexta-feira (17), já deixa 1.625 pessoas fora de casa, segundo o último boletim divulgado pela Defesa Civil Estadual às 17h desta segunda-feira (20).

Há registros de desabrigados e desalojados em Iconha, Alfredo Chaves, Vargem Alta, Anchieta e Rio Novo do Sul. Seis mortes já foram confirmadas, sendo três delas em Iconha e três em Alfredo Chaves. As buscas por desaparecidos continuam.

O governador do Espírito Santo Renato Casagrande (PSB) decretou, nesta segunda-feira (20), estado de calamidade pública para Iconha, Alfredo Chaves, Vargem Alta e Rio Novo do Sul, municípios do Sul do Estado que foram afetados pela chuva da última sexta-feira (17). Ele também anunciou novas medidas para auxiliar na limpeza e na reconstrução das cidades, a exemplo do fornecimento de maquinário pesado.

Casagrande anunciou que caberá à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano (Sedurb) fornecerá máquinas para a limpeza das ruas e estabelecimentos, como pá mecânica, caminhão basculante e escavadeira hidráulica.

Além de atuar na reconstrução das estradas estaduais, o Departamento de Edificações e Rodovias (DER) também trabalhará na reconstrução das pontes que foram destruídas pela força da água.

O órgão também se envolverá na elaboração de projetos de infraestrutura, já que muitas casas e outros tipos de edificação foram destruídos.

"O trabalho está organizado em cada município, organizado pela Defesa Civil Estadual, para que possamos, de fato, dar o apoio necessário as pessoas neste momento, limpar as cidades, desobstruir as estradas do interior e partir para um trabalho de reconstrução dos municípios e também de apoio às famílias que sofreram com as chuvas", disse o governador.

Em Iconha, o município mais atingido pela chuva, o nível do rio subiu cerca de cinco metros, causando uma forte enxurrada pelas ruas da cidade. A água chegou quase ao segundo andar dos imóveis, destruiu casas, arrastou carros, móveis e eletrodomésticos, causando pânico entre os moradores.

No dia seguinte, a cidade amanheceu sob um cenário de caos e destruição. Ruas, casas, comércios e instituições públicas estavam cheias de lama. Vários veículos ficaram revirados e deram a sensação da força da água.

Três dias depois, casas interditadas pela Defesa Civil no centro do município ainda têm risco de desabamento. Três pessoas morreram na cidade.

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) está com alerta de atenção para mais de 60 municípios do Espírito Santo, válido até esta terça-feira (21). O indicativo é de chuvas acima da média, com raios e chance de rajadas de vento.

O alerta inclui os três municípios mais afetados pela chuva na última sexta-feira (17): Iconha, Alfredo Chaves e Vargem Alta.


Informações G1

Compartilhe

Deixe seu comentário