EUA atuaram para ‘parar uma guerra, não para começar uma’, diz Trump

Presidente norte-americano também afirmou que país não busca uma mudança de regime no Irã após o ataque que matou Qassem Soleimani.

Foto: Reprodução

O presidente dos Estados Unidos, Donald trump, afirmou na tarde desta sexta-feira (3) que morte do general iraniano Qassem Soleimani foi ação necessária para "conter o terror", e que a intenção do país norte-americano não é a de começar uma nova guerra no Oriente Médio.

"Nós atuamos para parar uma guerra, não para começar uma guerra", afirmou Trump em seu primeiro pronunciamento sobre a morte do general iraniano.
"Não procuramos uma mudança de regime [no Irã]", disse o presidente. "O futuro pertence ao povo do irã", completou.

Qassem Soleimani era considerado o segundo homem mais importante do Irã. Líder da Força Al Quds, unidade especial da Guarda Revolucionária, Soleimani morreu nesta quinta-feira (2) em um bombardeio ordenado por Donald Trump, em Bagdá, no Iraque.

O Pentágono confirmou o bombardeio e disse que a ordem partiu do presidente Donald Trump. Em nota, o órgão culpou Soleimani por mortes de americanos no Oriente Médio e afirmou que o objetivo foi deter planos de futuros ataques iranianos.

Durante o pronunciamento desta sexta, Trump afirmou que o "Solemani perpetuou atos de terror para desestabilizar o Oriente Médio" e que sua morte representa o fim do terror. "O mundo é um lugar mais seguro sem esses monstros", disse.


Informações G1

Compartilhe

Deixe seu comentário