Goleiro Bruno pode disputar campeonato baiano 2020 pelo Fluminense de Feira

A diretoria do clube está em negociação com o atleta que deseja trabalhar fora do eixo Rio-São Paulo-Minas.

Foto: Divulgação

O ex-goleiro do Flamengo, Bruno Fernandes de 35 anos, pode ser contratado pelo Fluminense de Feira para a disputa do campeonato baiano 2020. A diretoria do clube está em negociação com o atleta que deseja trabalhar fora do eixo Rio-São Paulo-Minas.

“Nós estamos em contato com o empresário do Bruno, até com o próprio Bruno já tivemos a oportunidade de estar conversando. Estamos analisando, é um grande goleiro. Todo mundo sabe que ele teve um problema judicial, mas nós precisamos reintegrar essas pessoas que se envolveram com algo negativo, não podemos discriminar, não estamos aqui para julgar ninguém. Estamos acertando algumas coisas e trabalhando para que venha dar certo, a confirmação do goleiro Bruno, para o Fluminense de Feira”, esclareceu o presidente do Fluminense, Deputado Pastor Tom.

Sobre como o clube irá pagar o atleta, Tom disse que já entrou em contato com alguns empresários.

“Eles ficaram felizes com a notícia, não vai ter dificuldade nenhuma. Não vai trazer uma despesa elevada para o clube. O clube junto com os amigos, patrocinadores, pessoas que é fã do Bruno estão se mobilizando para a gente fazer o pagamento”, justificou.

O goleiro Bruno Fernandes deixou a prisão em julho de 2019 após quase nove anos detido pela morte da modelo Eliza Samudio.

“É lógico que algumas pessoas vão achar que é positivo e até mesmo negativo, mas o importante é saber que ele é um bom goleiro, não parou de treinar. Dando certo, vai trazer torcedores para o clube. Ele quer o mais rápido possível voltar aos gramados e de preferência aqui da Bahia, nós estamos trabalhando para dar certo”, completou.

O último clube do atleta foi o Poço de Caldas FC, de Minas Gerais. Bruno conseguiu progressão para o regime semiaberto após cumprir dois quintos da pena, conforme prevê a lei. Caso o atleta não consiga apresentar outro local de trabalho para a justiça, terá de prestar serviços sociais.


Informações Joaquim Neto / Diplomatas News

Compartilhe

Deixe seu comentário