Brasil ganha prêmio 'Fóssil do Dia' por 'culpar a sociedade civil pelas queimadas na Amazônia'

Premiação simbólica foi anunciada na tarde desta terça-feira (3) em Madrid. Japão e Austrália também receberam o 'troféu' irônico, apresentado pela Rede Internacional de Ação Climática.

Foto: Divulgação/CAN

O governo brasileiro foi um dos "vencedores" do prêmio "Fóssil do Dia", uma premiação simbólica e não oficial que, de forma irônica, destaca países por ações prejudiciais ao meio ambiente. O anúncio foi feito na tarde desta terça-feira (3) em Madri, onde as nações do mundo estão reunidas na COP 25, a cúpula do clima da Organização das Nações Unidas (ONU).

Durante a COP, a antipremiação é anunciada mais de uma vez, e é organizada pela Rede Internacional de Ação Climática (CAN).

Segundo o anúncio, o Brasil "empatou" com Japão e Austrália. A rede afirmou no Twitter que "o primeiro 'Fóssil do Dia' da COP 25 vai para o Brasil por culpar a sociedade civil pelas queimadas na Amazônia, o Japão por seu contínuo vício e expansão do [consumo de] carvão, o primeiro-ministro da Austrália, Scott Morrison, por aproveitar um jogo de críquete enquanto queimadas devastavam a Austrália, negando o vínculo delas com a mudança climática".

O governo brasileiro foi um dos "vencedores" do prêmio "Fóssil do Dia", uma premiação simbólica e não oficial que, de forma irônica, destaca países por ações prejudiciais ao meio ambiente. O anúncio foi feito na tarde desta terça-feira (3) em Madri, onde as nações do mundo estão reunidas na COP 25, a cúpula do clima da Organização das Nações Unidas (ONU).

Durante a COP, a antipremiação é anunciada mais de uma vez, e é organizada pela Rede Internacional de Ação Climática (CAN).

Segundo o anúncio, o Brasil "empatou" com Japão e Austrália. A rede afirmou no Twitter que "o primeiro 'Fóssil do Dia' da COP 25 vai para o Brasil por culpar a sociedade civil pelas queimadas na Amazônia, o Japão por seu contínuo vício e expansão do [consumo de] carvão, o primeiro-ministro da Austrália, Scott Morrison, por aproveitar um jogo de críquete enquanto queimadas devastavam a Austrália, negando o vínculo delas com a mudança climática".


Informações G1

Compartilhe

Deixe seu comentário