OS TRÊS PATETAS

Foto: Divulgação

Juro aos que me ouvem que gostaria muito de falar coisas mais s√©rias e realmente importantes. Mas a cada dia me surpreendo com a escolha de certas personalidades para ocupar importantes fun√ß√Ķes na administra√ß√£o p√ļblica federal. Mas o exotismo e o despreparo destas pessoas no comando de √≥rg√£os importantes na maquina administrativa federal n√£o tem limites. E √†s vezes nos tiram do foco de comentar fatos que merecem destaque. Mas n√£o tem jeito. E vamos a eles.

Primeiramente me reporto sob a declara√ß√£o do nomeado presidente da Funda√ß√£o Palmares. Um famoso desconhecido de nome Sergio Nascimento de Camargo. Assim que foi escolhido, resolveu o distinto lan√ßar opini√Ķes que somente entendo como absurdas e destrambelhadas. Entre as asneiras perpetradas diz que a escravid√£o foi ben√©fica aos negros brasileiros, pois hoje vivem melhor que os negros da √Āfrica e para rebater finalizou dizendo que temos um racismo nutela no Brasil. A principio pensei que fosse uma terr√≠vel brincadeira de extremo mau gosto. Mas n√£o, foi uma afirma√ß√£o sem meias palavras. E vejam algu√©m que vai ocupar uma funda√ß√£o que tem entre suas politicas o combate ao racismo e a valoriza√ß√£o dos valores culturais dos negros no Brasil, ao dizer tais asneiras j√° seria motivos de enxot√°-lo do cargo rec√©m nomeado. N√£o √© cr√≠vel que este sujeito com este tipo de pensamento, prefiro chamar assim por n√£o usar palavra pior, venha a p√ļblico expor ao rid√≠culo de se mostrar t√£o preconceituoso quanto o mais retrogrado dos racistas. A sua nomea√ß√£o tende a um √ļnico proposito: O de atender a sanha extremista de apoiadores do bolsonarismo que frequenta as redes s√≥cias que tem o mesmo entendimento bestial do indicado a Funda√ß√£o Palmares.

O sujeito se diz de direita. Mas pelas declara√ß√Ķes ignorantes seja do ponto de vista hist√≥rico quanto antropol√≥gico, de direita que n√£o √©. N√£o vi uma s√≥ linha em suas palavras coisa que o definisse ter uma posi√ß√£o que defenda desvincular do seu palavr√≥rio a quest√£o racial do contexto do discurso ideol√≥gico. Mas pedir tal posicionamento talvez seja muito para seu c√©rebro. Vamos ver at√© aonde ela aguenta as press√Ķes do cargo.

Outra figura dantesca e me desculpem o trocadilho é o escolhido para presidir a FUNARTE. Uma fundação com propósitos de estimular e divulgar as artes de um modo geral. Seu nome: Dante Henrique Mantovani. O seu curriculum acadêmico diz que é doutor em estudos da Linguagem pela Universidade de Londrina. No entanto o lustro acadêmico não lhe trouxe iluminismo em seu pensamento. As coisas ditas em sites, redes sociais e escritos só demonstram o seu estado de indigência intelectual. Dentre as barbaridades ditas, que somente as reproduzo para expor o ridículo, está o de defender o terraplanismo. Diz este luminar da cultura, que a NASA forjou fotos para esconder que o planeta Terra não é redondo. E outra, que as musicas dos The Beatles foram compostas pelo pensador alemão da Escola de Frankfurt o filosofo Adorno. Mas a coisa não ficou somente nisto. Disse este brilhante pensador que no festival de Woodstock de 68, agentes comunistas infiltrados distribuíram LSD aos jovens a fim de destruir a família. Acho que vou parar por aqui, pois já não me aguento de tanto rir.

As idiotices ditas é a prova cabal que titulação acadêmica não trás lustro ao pensamento de certos indivíduos. O Dante ao que parece vive no mundo da lua. Mas será que ele acha também que a lua é plana. A saber.

Outro que n√£o fica longe de seus coleguinhas √© o presidente da Biblioteca Nacional recentemente escolhido. Refiro-me ao Rafael Alves da Silva. Seu bestial√≥gico n√£o fica nada a dever de seus outros coleguinhas da fun√ß√£o p√ļblica.  Monarquista, com certeza almeja um dia ser conde ou bar√£o, em suas redes sociais publicou um arrazoado de bobagens afirmando que contesta que o numero de negros assassinados mais que os brancos. Li no jornal Estad√£o as suas observa√ß√Ķes, que diria um tanto esquisitas, para n√£o me obrigar a usar um termo mais pesado. Diz l√° em suas observa√ß√Ķes que n√£o se pode basear que n√£o s√£o os negros que mais morrem por a√ß√£o criminosa, mas aqueles que se reconheceram negros ou pardos de forma relativamente arbitr√°ria. N√£o vou continuar porque n√£o consegui levar a serio quem escreve bobagens deste quilate. Paci√™ncia tem limite.

O que se observa na escolha de figuras t√£o ruins e o que assombra √© a burrice e a falta de senso de rid√≠culo ao defender ideias abiloladas e sem sentido. N√£o sei de onde tiraram das catacumbas da escurid√£o das ideias, pessoas t√£o despreparadas. Atende como disse anteriormente, as hostes bestiais das redes sociais extremistas de direita que apoiam teorias da conspira√ß√£o, globalismo e outras sandices rasteiras e assim acalmar seus √Ęnimos. A √ļnica explica√ß√£o poss√≠vel √© esta. N√£o h√° outra.

Quer queira ou n√£o estas nomea√ß√Ķes repercutem na economia do pa√≠s. Pois servimos de chacota na comunidade internacional, que por sua vez afasta investidor que queira por exemplo, investir na cultura nacional. E cultura se n√£o sabem movimenta muitos bilh√Ķes de d√≥lares. Mas com estas figuras √© bem poss√≠vel que n√£o atraia. Termino com uma frase do impag√°vel Mill√īr Fernandes. Dizia ele: O Brasil √© √ļnico lugar no mundo que s√£o os palha√ßos que riem do p√ļblico.

Compartilhe

Coment√°rios