O agro é top

Foto: Divulgação

Um dos únicos setores que cresceram durante esse período de pandemia em que vivemos, foi o agronegócio. Enquanto quase todos os setores encolheram, o agro vai de vento em popa nesse conturbado ano de 2020.

Uma combinação de fatores fez com que isso acontecesse. O primeiro, e sempre mais importante, foi a chuva. O ano de 2020, ruim em vários aspectos, tem sido ótimo em relação ao volume de chuvas. Com raríssimas exceções de algumas regiões, quem trabalha com a pecuária não tem do que reclamar em relação ao alimento animal, e quem comercializa alimentos plantados no campo, via de regra, não teve dificuldades em relação ao volume de chuvas nas lavouras, e o sucesso nas colheitas foi praticamente garantido.

Outro fator que fez com que o agronegócio não sentisse tanto os impactos da pandemia em relação a outras atividades foi a tecnologia. Cada vez mais presente no campo, ela tem ajudado muito. Principalmente, a quem trabalha em larga escala. Com a necessidade de evitar aglomerações (inclusive durante as colheitas), todas as inovações tecnológicas que chegaram até as atividades rurais ajudaram demais nesse processo. Hoje em dia, já existem colheitadeiras que sequer precisam de motorista. Em um campo enorme, com dez imensos tratores trabalhando na colheita, apenas uma pessoa, à distância, consegue controlar tudo. Onde não existe tecnologia, também é possível realizar todo o processo de colheita, utilizando a mão-de-obra de muitas pessoas, sem causar aglomerações.

Tudo isso nos leva a concluir uma coisa: o agro tem vida própria, com suas próprias facilidades e dificuldades. O agro é top.

Compartilhe

Comentários