Pobre RJ

Foto: Divulgação

Em menos de 4 anos, o Rio de Janeiro teve 6 governadores investigados por supostos atos ilícitos ou de corrupção. Cinco deles, foram presos (Antony e Rosinha Garotinho, Pezão, Moreira Franco e Sérgio Cabral – único que permanece preso). O caso mais recente de investigação que cai sobre um governador, é o do atual, Wilson Witsel, que é ex-juiz e foi eleito levantando a bandeira anticorrupção. Ele foi afastado do cargo pelo Superior Tribunal de Justiça, por causa da investigação que apura supostas irregularidades e desvios nos contratos emergencial para o enfrentamento à Covid-19 no estado.

Nos choca muito e é grave, o fato de ter tantas investigações sobre a conduta das principais autoridades do estado do Rio de Janeiro. O que esperar de governos (ou ex-governos) sobre os quais se levanta (e se prova, em alguns casos) tantos atos ilícitos que lesam o seu povo? E como ter esperança de dias melhores, se sai um governo e entra outro, mas as denúncias continuam?

O pior de tudo é saber que foi a própria população que colocou essas pessoas no governo, certamente, acreditando que esses nomes representariam bem o estado, e quando isso não acontece, a decepção é muito grande, além de ser um prejuízo financeiro enorme para o próprio contribuinte. Em ano de eleições municipais, como é o caso desse ano, fica a lição da importância de tentarmos reduzir ao máximo o risco do erro ao eleger nossos representantes.

Compartilhe

Comentários