MÍNIMO DO MÍNIMO

Foto: Divulgação

Apesar da OMS divulgar que o Brasil está entrando na fase de estabilidade da covid-19, a média de mortes diárias e de novos contaminados  ainda é muito alta e não se tem uma ideia concreta de quando começaria efetivamente a cair os números. Estatísticos dizem que só teremos início real da queda dos números a partir da segunda quinzena de agosto, que coincide com o fim da ajuda assistencial do governo federal e com o presidente Bolsonaro dizendo que o país está endividado e não teria caixa para alongar essa ajuda aos brasileiros sem renda mínima de sobrevivência. Já imaginaram o que seria dessa população sem a verba assistencial antes da retomada da economia? Se os governantes tiverem juízo, manterão essa ajuda pelo menos até o fim do ano, mesmo que tenha que endividar o país ainda mais. O pior seria uma onda de saques  por famílias desesperadas pelo mínimo do mínimo para sobrevivência.

Compartilhe

Comentários