Professores das universidades estaduais organizam Dia Estadual de Luta

Dia 15 de Setembro ser√° marcado por protestos

Os professores das quatro Universidades Estaduais da Bahia (Ueba) far√£o em 15 de setembro o Dia de Luta em Defesa da Educa√ß√£o P√ļblica e dos Direitos Trabalhistas. Mobiliza√ß√Ķes ocorrer√£o em diversas cidades baianas e, em Feira de Santana, ser√° realizada panfletagem no p√≥rtico da Uefs, a partir das 7h, seguida de passagem em sala de aula para reafirmar, junto √† comunidade acad√™mica, a necessidade de intensifica√ß√£o das mobiliza√ß√Ķes. N√£o haver√° paralisa√ß√£o das atividades acad√™micas no campus.
O Dia Estadual de Luta foi encaminhado pelo F√≥rum das Associa√ß√Ķes Docentes (F√≥rum das ADs) das Ueba com a proposta de denunciar, mais uma vez, o descaso do governo com a educa√ß√£o p√ļblica e cobrar solu√ß√£o para os atuais problemas. Desde 2014, a Lei Or√ßament√°ria Anual (LOA) sancionada pelo governador da Bahia reduz o recurso destinado para custeio, investimento e manuten√ß√£o das universidades. Por conta dos cortes, as institui√ß√Ķes enfrentam uma grave crise financeira que impede o pagamento de despesas essenciais, a exemplo dos trabalhadores terceirizados, contas de luz e telefone.
Tamb√©m faltam professores, laborat√≥rios, material did√°tico e pol√≠tica de perman√™ncia estudantil adequada √†s atuais demandas das universidades. Direitos trabalhistas est√£o sendo constantemente negados. Concomitantemente, foram publicados dois decretos de conten√ß√£o de despesas de custeio e de pessoal no √Ęmbito do Poder Executivo.
Por conta da pol√≠tica do governo estadual, o valor necess√°rio para manuten√ß√£o das atividades nas Ueba e a receita disponibilizada para cobri-las gera uma conta que n√£o fecha e empurra para o ano posterior d√©bitos que n√£o foram empenhados. No caso da Uefs, √© necess√°ria uma suplementa√ß√£o de, aproximadamente, R$ 10 milh√Ķes para que seja garantido o pagamento das despesas com manuten√ß√£o at√© o final deste exerc√≠cio. Caso n√£o se efetive, teme-se pelo comprometimento de algumas atividades consideradas essenciais.
Em função da pressão do Fórum das ADs, o secretário da Educação, Walter Pinheiro, reuniu-se duas vezes com a categoria. No entanto, mesmo diante da ameaça do funcionamento das universidades, além de não apresentar uma proposta concreta aos docentes, sinalizou com a possibilidade de não haver recomposição do orçamento para 2017. Cobrado pelos professores, o chefe da pasta marcou um encontro para o dia 19 deste mês. A expectativa é que, conforme combinado em reunião realizada em agosto, Pinheiro dê resposta sobre a garantia dos direitos trabalhistas e o orçamento para o próximo ano.
Empenhado em construir coletivamente a reivindica√ß√£o em defesa da educa√ß√£o p√ļblica e dos direitos trabalhistas, o F√≥rum convocou uma reuni√£o com os representantes das entidades dos estudantes e dos t√©cnico-administrativos para o dia 12 deste m√™s, √†s 9h, na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb), em Vit√≥ria da Conquista. A proposta √© definir um plano de a√ß√£o para os pr√≥ximos dias.
 
Mobilização nacional
Em conformidade com os encaminhamentos do F√≥rum das Entidades Nacionais dos Servi¬≠dores P√ļblicos Federais (Fonasefe), os professores das Ueba tamb√©m endossar√£o a gran¬≠de Jornada de Luta, a ser realizada entre 12 e 15 deste m√™s, em Bra¬≠s√≠lia, contra o ajuste fiscal, as privatiza√ß√Ķes e a precariza√ß√£o do servi√ßo p√ļblico, e em defesa de sal√°rios, direitos e empregos.
 Os manifestantes ficar√£o acampados na Esplanada dos Minist√©rios at√© o dia 14. No primeiro dia ocorrer√° a recep√ß√£o das caravanas. No dia 13 ser√° realizada uma manifesta¬≠√ß√£o, com Marcha unificada dos trabalhadores, e no dia (14) haver√° a reuni√£o amplia¬≠da do Fonasefe. Em 15 de setembro ser√£o realizadas mobiliza√ß√Ķes nos estados

Compartilhe

Deixe seu coment√°rio